30 novembro, 2010

Perú Contra el Racismo

cid:image001.jpg@01CB8655.3C8CE580
CENTRO DE ESTUDIOS Y PROMOCIÓN AFROPERUANOS
NOTA DE PRENSA

APOYO A PROPUESTA DE LEY QUE SANCIONE LA INJURIA RACISTA Y DESTACAR EL APORTE DE LA POBLACIÓN AFROPERUANA SE PROPONE EN MOCIÓN DE LA COMISIÓN DE PUEBLOS ANDINOS, AMAZÓNICOS Y AFROPERUANOS

forohoy.jpgEn una moción firmada por congresistas de la Comisión de Pueblos Andinos, Amazónicos y Afroperuanos y miembros de otras bancadas del Congreso de la República, se proponen acciones encaminadas a combatir el racismo y poner en relevancia el aporte de los diversos pueblos al desarrollo de país.

Dentro de los aspectos considerados en la moción se tiene: apoyar la propuesta de proyecto de Leyque plantea una reforma del Código Penal, para que el delito de la injuria tenga como agravante el racismo. Dicha propuesta es impulsada por LUNDU Centro de Estudios y Promoción Afroperuanos.

El relevar el papel de los Afroperuanos en la historia nacional -en el marco de las acciones del Bicentenario de la Independencia del Perú (año 2021)- así como impulsar más publicaciones sobre el aporte de los diversos pueblos a la historia nacional fueron otras de las propuestas de la Moción.

Este documento fue presentado en el evento “Perú Contra el Racismo” foro organizado por LUNDU, la Comisión de Pueblos Andinos, Amazónicos y Afroperuanos del Congreso de la República y el Ministerio de Relaciones Exteriores el pasado viernes 26 de noviembre, donde se presentaron, a su vez, los resultados de la campaña “APÚNTATE CONTRA EL RACISMO”.

Mónica Carrillo, Presidenta Ejecutiva de LUNDU, informó las diversas acciones de la campaña, destacando el recojo de 6 mil testimonios en diversas regiones, la creación del Observatorio Afroperuano -que ha hecho un recuento, en un año, de 350 noticias racistas hacia población afroperuana- y la campaña contra el racismo en los medios de comunicación, expresados en los personajes "Negro Mama" y "Paisana Jacinta". Carrillo sostuvo la necesidad de que las acciones pedagógicas se acompañen de sanciones efectivas, presentado como alternativa la modificación del Código Penal: se coloque el agravante de racismo en el delito de la injuria.

De otro lado, Jorge Trefogli, Presidente de Amnistía Internacional – sección Perú, hizo un recuento del marco normativo internacional y nacional contra el racismo. Tarcila Rivera, Presidenta de Chirapaq (Centro de Culturas Indígenas del Perú) destacó la importancia de que las leyes ya existentes se cumplan a cabalidad. Por su parte, Oswaldo Bilbao de CEDET (Centro de Desarrollo Étnico) instó a que el Estado tenga un rol más explícito sobre políticas para población afroperuana.

Asistieron a la reunión, la ministra Franca Deza Ferrecio, Directora General de Derechos Humanos del Ministerio de Relaciones Exteriores, quien señaló la importancia de que existan acciones positivas que planteen soluciones ante el racismo. Nancy Flores de la Dirección de Igualdad de Oportunidades del Ministerio de la Mujer destacó la reactivación de la Mesa de Mujer Afroperuana en el seno de dicha instancia.

Cabe recordar que LUNDU presentó una demanda contra Frecuencia Latina (canal 2) ante la Sociedad Nacional de Radio y Televisión (SNRTV) y que fue denegada luego de más de tres meses de proceso. A la fecha, LUNDU, ha presentado una apelación que está a la espera de ser respondida y que tiene una demora injustificada por parte del ente gremial.


Lima, 29 de noviembre de 2010

Comunicaciones LUNDU


Av. Bolívar 138 "A". Pueblo Libre. Lima. Telefax: (0511) 628 3764



Cores e Botas

E-mail enviado por Juliana Vicente, uma grande amiga que agora tem seu filme exibido no Espaço Unibanco - SP.

Caros amigos, 

É com grande alegria que a Preta Portê Filmes convida para a estreia em São Paulo do curta-metragem CORES E BOTAS, de Juliana Vicente que estará no 32º Festival de Havana

As exibições acontecerão na terça-feira, 30/11a partir das 21h, no Espaço Unibanco - sala 03 (R. Augusta, 1475).

Após a estreia, haverá a Mostra Preta Portê (sala 02), com a exibição dos curtas: AVÓS, de Michael Wahrmann, PIMENTA, de Eduardo Mattos, ELETROTORPE, de Nalu Béco e Yuri Amaral, e OS SAPATOS DE ARISTEU, de René Guerra.
 
Aguardamos vocês por lá!

Mais informações:  www.coresebotas.com.br


CORES E BOTAS

35mm • 15'50" • 1:85 • Brasil • 2010 

    J
    oana tem um sonho comum a muitas meninas dos anos 80: ser Paquita. Sua família é bem sucedida e a apoia em seu sonho. Porém, Joana é negra, e nunca se viu uma paquita negra no programa da Xuxa.


      ELENCO
      JHENYFER LAUREN
      DANI ORNELLAS 
      LUCIANO QUIRINO 
      BRUNO LOURENÇO 
      Participações:
      Maristela Chelala
      Einat Faldel

    EQUIPE

    Roteiro e Direção: Juliana Vicente
    Produção: Juliana Vicente e Nalu Béco
    Produção Executiva: Nalu Béco
    Direção de Produção: Nalu Béco e Rodrigo Levy
    Direção de Fotografia: Lucas Rached
    Direção de Arte: Regina Célia Barbosa
    Produção de Arte: Alexandre Borzani
    Desenho de Som e Mixagem: Guile Martins
    Montagem: Yuri Amaral e Daniel Grinspum
    Música: Maurício Fleury e Bruno Palazzo
    Ass. Direção: Daniel Grinspum e Guilherme Severo



    CONTATO

    Preta Portê Filmes
    contato@pretaportefilmes.com.br
    55 11 2507 3503
    55 11 9937 1780

    Wikileaks - Como pesquisar

             Site de pesquisa sobre a última publicação - documentos secretos de embaixadas norte-americanas - do Wikileaks - há logo abaixo uma indexação sobre os assuntos pesquisados em tempo real.

             http://www.informationclearinghouse.info/article26934.htm

    Wikileaks - E a crise diplomática mundial.


        O jornal The Guardian publicou mapa interativo de assuntos relacionados sobre a publicação pelo Wikileaks de documentos diplomáticos norte-americanos. 




    US embassy cables: browse the database

    Use our interactive guide to discover what has been revealed in the leak of 250,000 US diplomatic cables. Mouse over the map below to find key stories and a selection of original documents by country, subject or people

    27 novembro, 2010

    Baby Bob Marley

    23 novembro, 2010

    22 novembro, 2010

    Site de Lorca e site de Produção Cultural no Brasil

    E-mail enviado pelo meu grande amigo Emiliano Castro



    Oi, amig@s.

    Faz tempo que não convido pra nenhuma música, verdade?

    Tava concentrando energias.
    Ainda estou. Informações e convites referentes ao meu discoKanimambo virão a partir de dezembro, com a boca cheia.

    Mas já começo a reaquecer nossa comunicação com duas coordenadas:

    1)  3a feira próxima, dia 23 de novembro, participo de umaleitura dramática de muito alto nível.
    O convite vai anexo. Sem meu nome porque fui uma "contratação recente".

    Trata-se da farsa de Federico García Lorca,
    "O Amor de Dom Perlimplim com Belisa em seu Jardim"

    A direção é de Eugênia Thereza de Andrade.
    O grande elenco é composto por Luiz Damasceno, Eduardo Silva, Carlos Careqa, Livia Guerra, Henrique Stroeter e Claudinei Brandão.
    Eu, Emiliano Castro, farei a música flamenca ao vivo.
    Ambientação cenográfica de Mika Lins.

    ENTRADA GRATUITA
    DIA 23 DE NOVEMBRO
    `AS 19:30H
    NO
    SESC CONSOLAÇAO
    r. Dr. Vila Nova, 245
    tel. 3234 3000


    2) O segundo convite é pra irem curtindo em vossos lares, na internet:

    Este ano participei de um projeto maravilhoso chamado Produção Cultural no Brasil.
    www.producaocultural.org.br

    É um site do maior interesse público e cultural que reune 100 videos de entrevistas curtas e belíssimas com profissionais ligados à cultura no Brasil nos últimos 80 anos.
    A maior gama possível de profissionais, áreas de atuação, gerações, etc.
    É como se assistíssemos a uma mesa redonda enorme com artistas, gestores, técnicos, empresários, críticos, etc.
    Querendo, podemos entender com quantos paus se faz a cultura no Brasil.

    E eu participei da trilha sonora gravada especialmente para os 100 videos como produtor e instrumentista.
    Toco ao lado dos mestres Yamandú Costa e Spok.
    Honra e aprendizados elevados à última potência.
    Imaginem.
    Acessem, vão para a seção "videos" e ouçam.
    www.producaocultural.org.br

    Escrevi uma crônica sobre o processo de produção desta trilha, contando como foi a encomenda e o dia da gravação. 
    Acho que ainda não está disponível no site mas é pra logo.
    E se demorar eu mesmo envio a quem quiser.


    Dados os recados, reavivadas as saudades...

    Até já!
    Emiliano

    20 novembro, 2010

    Villa Lobos Superstar

    Consciência Negra: Centenário da Revolta da Chibata e homenagem a poeta Maria Tereza M. de Jesus



    &
    Biblioteca Alceu Amoroso Lima
     
    Convidam
     
    Consciência Negra: Centenário da Revolta da Chibata e homenagem a poeta Maria Tereza M. de Jesus



    Fotos: da capa do livro João Cândido do Brasil de César Vieira, onde o Almirante Negro aparece lendo o decreto de anistia dos revoltosos no D.O. em 1910 e Maria Tereza “Curupira” em arte de Rodrigo Bueno

    No dia 22 de novembro de 1910, marinheiros negros se rebelaram contra os castigos a que eram submetidos a bordo de embarcações brasileiras, liderados por João Cândido Felisberto ocuparam por cinco dias vários navios brasileiros na Baía da Guanabara, então Capital Federal. O levante dos marinheiros ficou conhecido como Revolta da Chibata. Para celebrar o centenário deste acontecimento e os 130 anos de nascimento de João Cândido, vamos realizar um evento com várias manifestações artísticas e uma homenagem a poeta Maria Tereza Moreira de Jesus, que nos deixou recentemente, com leituras de poesias de seu último livro “Negrices em Flor” publicado pela Edições Toró.

    PROGRAMAÇÃO
    19h00 - Exibição de vídeos documentários sobre a Revolta da Chibata
    19h30 – Leitura da “Carta dos Marinheiros” (manifesto dirigido ao governo brasileiro na ocasião) e apresentação do livro “João Cândido do Brasil e a Revolta da Chibata” de César Vieira, dramaturgo e fundador do TUOV - Teatro Popular União e Olho Vivo.
    19h50 - Apresentação do grupo de Capoeira Angola Omoayê e convidados
    20h20 - Dança afro com Inayara Samuel acompanhada de músicos
    20h40 - Apresentações musicais com a Banda Mokó de Sukata do movimento Trokaoslixo, o músico e compositor Haroldo Oliveira e outros convidados.

    Durante a programação haverá leituras de textos sobre a Revolta da Chibata e seu líder, o Almirante Negro, João Cândido Felisberto e da poeta Maria Tereza Moreira de Jesus.

    Quer participar Abaixo-assinado Manifesto de apoio à Indenização reparatória, “POST MORTEM”, POR PARTE DO GOVENO BRASILEIRO AO MARINHEIRO DE 1ª CLASSE JOÃO CÂNDIDO FELISBERTO (O ALMIRANTE NEGRO)? Acesse aqui:www.peticaopublica.com.br/?pi=JCF2010.

    Serviço:
    Centenário da Revolta da Chibata e homenagem a poeta Maria Tereza Moreira de Jesus
    Dia 22 de novembro de 2010, segunda-feira, a partir das 19h.
    Biblioteca Pública Alceu Amoroso Lima – Av. Henrique Schaumann, 777 - Pinheiros - São Paulo (SP) – Tel. 3082 5023.
    Realização e Produção: Biblioteca Alceu Amoroso Lima & O Autor na Praça com apoio especial do poeta Ricardo Silva.
    Assessoria de Imprensa: Edson Lima – 9586 5577 –edsonlima@oautornapraca.com.br.
    Apoio: Secretaria Municipal de Cultura / Prefeitura do Município de São Paulo / AEUSP / ARTVER.

    Saiba mais:
    Sobre a Revolta da Chibata – www.pt.wikipedia.org/wiki/Revolta_da_Chibata.
    Sobre João Cândido Felisberto –www.pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_C%C3%A2ndido.
    Sobre Maria Tereza e o livro “Negrices em Flor” –
    Sobre César Vieira e o TUOV - www.cesarvieiratuov.com.br.
    Sobre o Grupo de Capoeira Angola Omoayê –www.capoeiraangolaomoaye.blogspot.com.
    Sobre Haroldo de Oliveira - www.myspace.com/haroldooliveira.


    O Autor na Praça participa da 5ª Balada Literária

    BALADA LITERÁRIA completa cinco anos. E se consolida como um dos mais importantes e descontraídos eventos literários do país. É quase uma centena de artistas, nacionais e internacionais, em mesa de debate, em mesa de bar, no palco, trocando ideias, festejando lançamentos. A homenageada desta edição é a escritora paulistana LYGIA FAGUNDES TELLES, que tem toda a sua obra relançada pela Companhia das Letras - como o romance As Meninas e o livro de contos Antes do Baile Verde. "Desde o ano passado anunciamos esta celebração à grande Lygia. Ela aceitou com alegria o brinde que, agora, vamos levantar para ela", diz o escritor pernambucano Marcelino Freire, criador e organizador do evento, ao lado da Livraria da Vila e da Ato Cidadão e com o apoio da Biblioteca Alceu Amoroso Lima, Centro Cultural b_arco, Edith, Itaú Cultural, Goethe-Institut, SESC Pinheiros, Teatro Brincante, O Autor na Praça, Teatro da Vila e do bar Mercearia São Pedro.

    O Autor na Praça participa da “Balada” recebendo noEspaço Plínio Marcos, jovens poetas do Coletivo Barkaça, de Minas Gerais, em um sarau em homenagem aRoberto Piva. Feira de Artes da Praça Benedito Calixto, sábado, dia 20, as 13h30.

    Veja a programação completa: www.baladaliteraria.zip.net.

    Eles apóiam o projeto O AUTOR NA PRAÇA:

    O Cantinho Português barraca de comida portuguesa na Feira de Artes da Praça benedito Calixto lançou um novo prato: "Camarão na batata a Saramago", claro que trata-se de uma homenagem ao grande escritor português José Saramago, ganhador do prêmio Nobel de Literatura em 1998.


    TV DA PRAÇA aqui você encontra cenas da BENEDITO CALIXTO - www.pracabeneditocalixtotv.com.br

    Vozoteca LEK
     
    Video Vozoteca Luiz Ernesto Kawall - Saiba mais sobre a Vozoteca e ouça
    Praça Benedito Calixto, 86 - Pinheiros - Tel. 3062 0015 (visitas devem ser agendadas por telefone).



    17 novembro, 2010

    Dolores 10 anos

    Projeto "Que país é este?" enfoca Moçambique - São Paulo - SP

    CAFÉ CULTURAL: “UNGULANI BA KA KHOSA E A CIRANDA DAS VOZES”
    Com Luana Antunes Costa (doutoranda em Letras pela USP e autora do livro Pelas águas mestiças da história: uma leitura de “O outro pé da sereia” de Mia Couto, EDUFF, 2010).
    A partir de leitura da obra Ualalapi, de Ungulani Ba Ka Khosa, a pesquisadora apresenta alguns dos recursos estético-discursivos que são pilares da escrita do autor moçambicano.
    | 50 vagas. Espaço Sarau. Dia 14, das 14h às 16h


    Projeto "Que país é este?" enfoca Moçambique

    A República de Moçambique e a sua contribuição para a formação da cultural brasileira são os temas do projeto ''Que país é este?'' do mês de novembro. As atividades programadas vão propiciar um mergulho nas tradições e riquezas deste país africano.

    Para o professor-doutor Carlos Subuhana, convidado pelo Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso para ser o curador, deste mês, do projeto Que País É Este?, que enfoca a República de Moçambique, a contribuição dos africanos na cultura nacional tem sido um elemento fundamental na formação da identidade do povo brasileiro. “É impossível pensar o Brasil nos mais diversos aspectos, como cultura e religião, sem levar em conta essa importante influência, que se estende ao longo dos últimos quatro séculos”, afirma o curador.

    Com o objetivo de proporcionar um mergulho na riqueza das tradições socioculturais, da literatura e história, o evento promove atividades como palestras, encontros, oficinas e sarau, que mostram parte da diversidade e da complexidade presente no continente africano.

    Entre os convidados está Ungulani Ba Ka Khosa, considerado um dos 100 melhores escritores africanos do século XX. O autor conversa com o público, e seu livro Ualalapi (1987) serve como base para que a doutoranda em Letras, Luana Antunes, comente alguns recursos estético-discursivos utilizados por ele. Dividida em seis episódios, a obra, ganhadora do grande prêmio de ficção moçambicana em 1990, conta a história de um guerreiro destinado a matar um rei (“hoi”, em idioma Tsonga). Com a morte deste, o irmão assume seu lugar. Khosa publicou também obras como Orgia dos loucos (1990), No reino dos Abutres (2001) e Choriro (2009).

    Entre os temas abordados em outras palestras do evento estão Moçambique, história e cultura, com o pesquisador Rafael Chivuri, e A Mulher moçambicana, com Lidia Justino Mondlane, fundadora da Associação Nacional dos Enfermeiros de Moçambique. Em Tecidos e identidades africanas, a antropóloga Luciane Silva fala sobre o significado das túnicas africanas conhecidas como capulanas, e as mensagens sociais que os diferentes tecidos empregados em suas confecções transmitem.

    Haverá, ainda, uma oficina em que as moçambicanas Leonilda Muatiacale e Bernadete João ensinam como fazer as tranças que enfeitam as cabeças de homens e mulheres; um sarau com danças, músicas e contos do país; e um encontro com o objetivo de estreitar laços entre o Brasil e Moçambique.

    O evento ocorre entre os dias 14 e 17 de novembro e, para participar, é necessário fazer inscrição.

    Confira a Programação:

    QUE PAÍS É ESTE?: “MOÇAMBIQUE”
    Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso. Zona Norte. Grátis
    Curadoria: Carlos Subuhana (moçambicano com pós-doutorado em Antropologia pela Universidade de São Paulo).
    | Inscrições na recepção do CCJ.

    CAFÉ CULTURAL: “UNGULANI BA KA KHOSA E A CIRANDA DAS VOZES”
    Com Luana Antunes Costa (doutoranda em Letras pela USP e autora do livro Pelas águas mestiças da história: uma leitura de “O outro pé da sereia” de Mia Couto).
    A partir de leitura da obra Ualalapi, de Ungulani Ba Ka Khosa, a pesquisadora apresenta alguns dos recursos estético-discursivos que são pilares da escrita do autor moçambicano.
    | 50 vagas. Espaço Sarau. Dia 14, das 14h às 16h

    DIÁLOGOS: “UNGULANI BA KA KHOSA”
    Parceria: Sistema Municipal de Bibliotecas e Biblioteca São Paulo.
    Pela segunda vez no Brasil, o escritor moçambicano, autor dos livrosUalalapi, vencedor do grande prêmio de ficção moçambicana em 1990,Orgia dos loucos e outros, conversa com o público sobre a produção literária em seu país e sobre sua trajetória como escritor.
    | 50 vagas. Espaço Sarau. Dia 14, das 16h às 18h

    MOÇAMBIQUE – HISTÓRIA E CULTURA
    Com Rafael Chivure (mestrando em Relações Internacionais pela Universidade Estadual Paulista).
    O pesquisador apresenta um panorama sobre a evolução histórica e a diversidade cultural de Moçambique. O documentário Moçambique, produzido pela produtora Videografia em parceria com a TVE Brasil, é exibido antes da palestra.
    | 50 vagas. Espaço Sarau. Dia 21, das 14h30 às 17h

    TECIDOS E IDENTIDADES AFRICANAS
    Com Luciane Silva (professora e antropóloga com especialização em diáspora africana pela Universidade de Maryland, EUA).
    Na África, os diferentes tecidos servem como articuladores das percepções de gênero, geração, etnicidade, filiações política e nacional entre os povos. No vestuário, o pano é também palavra, portador de mensagens sociais. Neste encontro, a antropóloga mostra as produções têxteis industriais do continente, com recorte específico nas capulanas de Moçambique e seus significados.
    | 50 vagas. Espaço Sarau. Dia 21, das 17h às 18h30

    INTERCONEXÕES HUMANAS
    Realização: Instituto Voz, Liga dos Direitos Humanos (LDH) e Centro Cultural Brasil Moçambique (CCBM).
    Encontro com o objetivo de estreitar laços entre Brasil e Moçambique em produção colaborativa audiovisual, difundir a produção, fomentar e promover trocas na perspectiva de envolver outros protagonistas e construir políticas públicas entre a Comunidade dos Países da Língua Portuguesa (CPLP).
    | 50 vagas. Espaço Sarau. Dia 27, das 10h às 14h

    OFICINA: “TRANÇAS MOÇAMBICANAS – ALIANDO ESTILO, MODA E BELEZA”
    Coord.: Leonilda Muatiacale (moçambicana de Tete e doutoranda em Comunicação e Semiótica) e Bernardete João (moçambicana da Zambézia e licenciada em Pedagogia).
    Desde pequenas, as meninas moçambicanas aprendem a fazer tranças em casa como brincadeira. Depois, compreendem que, aliadas às vestimentas e adornos, as tranças são uma verdadeira arte na cabeça de mulheres e homens que primam pela beleza, moda e pelo estilo próprio de acordo com a sua personalidade.
    | 20 vagas. Mirante. Dia 27, das 11h às 13h

    A MULHER MOÇAMBICANA
    Com Lidia Justino Mondlane (mestra em Ciências de Educação e fundadora da Associação Nacional dos Enfermeiros de Moçambique).
    A pesquisadora fala sobre a mulher moçambicana no campo, no mercado de trabalho e na política e apresenta sua transição e presença na construção do país.
    | 50 vagas. Espaço Sarau. Dia 27, das 14h30 às 16h

    COISAS DE MOÇAMBIQUE
    Produção: Tânia Piffer e Sandra Lessa (Senhora Cia. de Arte).
    Sarau que apresenta a cultura tradicional moçambicana por meio de contos, músicas e danças. No final do encontro, ocorre um desfile de capulanas com Julieta e Delicia Catarina.
    | 100 vagas. Espaço Sarau. Dia 27, das 17h às 19h

    Serviço

    Que País É Este?
    Data: 14 e 17 de novembro
    Local: Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso. Endereço: Av. Deputado Emílio Carlos, 3.641, Vila Nova Cachoeirinha - São Paulo - Brasil
    Telefone: 3984-2466
    Grátis

    10 novembro, 2010

    02 novembro, 2010

    O tambor do mestre Zizinho

    E-mail enviado por Dedê Paiva.


    Pessoal,
    É com muita alegria que convido para o lançamento do livro infantil "O tambor do mestre Zizinho".... uma história maranhense contada pelo meu parceiro Wilson Marques, com desenhos meus.
    Segue convite em anexo.
    Quero ver todos lá!
    Beijos
    Dedê

     


    Fazendo Tipo

                Tipo...                 Art...                    Sort...
              
           Tip...          Cineál...        Jenis... 


                                   Tipo....                                                          Sorte.....

                            Mâncare...         Druh...


                               Çesit..     Classe..


                    tipo...         tip...   


                                        Laya... Poravopyre....


                                                                                           Clas...                 Kira...
                                                                                    


    Tipo...Tipo...Tipo...entende?.