27 agosto, 2010

KEIMADA

Óleo s/ tela Etona - Angola

jindungo e jinguba
moídos
 preliminares da conversação
dois cálices bojudos
marufo macerado
nas nossas frentes
pergunto 
imaginas o orgasmo perpétuo?
já estás com os copos?
respondeste
 jindungo a brilhar nos olhos
reforcei
dizem
existir  o movimento
deuses    perpétuos…
porque não outros estados?
enquanto
toda minha ossatura
mastigava o preliminar
calores na medula a subir
propuseste
brindar ao devir
por ser perpétuo
escreveste
com o teu jindungado dedo
no meu peito
de repente
uma Keimada
nós no centro
emudecemos
…fim de conversação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário