22 março, 2010

O que ler na internet? - Revista Insight Inteligência.

          A internet tornou-se um emaranhado de publicações singelas, por outro lado somos inundados pela mesmice, senso comum e o discurso fácil.
          As principais revistas semanais brasileiras (que também divulgam notícias em seus respectivos sites) compõem o terreno fértil do sensacionalismo, conservadorismo e manipulação. As revistas Veja, Época, Isto é, Piauí (esta eleita a revista Veja "cult" de parte da intelectualidade) trilham com afinco estes caminhos e são degustadas com frenesi pela classe média conservadora. O mestre Oswald de Andrade repetiria a célebre frase em uníssono: "Não li e não gostei."
          Exceções a parte, a revista Carta Capital tem revisto seu "governismo" e adotado posições mais isentas, a revista Le Monde Diplomatique, A Revista Cult, entre outras, tem publicado excelentes reportagens.
          A Revista Caros Amigos (ou será Caros Adjetivos?) peca em determinados momentos pelo esquerdismo, daquele que o velho Lenin dissertou "long time ago". Gostaria desde já de parabenizar a jornalista Lúcia Rodrigues, que foi minha companheira de gestão do Diretório Central de Estudantes da USP, pelo prêmio Herzog de 2009.
          O papo está bom, a conversa está interessante.....
          Gostaria de fazer uma singela sugestão....o nome não é edificante, faz lembrar estas revistas de auto-ajuda empresarial, entretanto, a revista "Insight Inteligência" - http://www.insightnet.com.br/inteligencia  é uma das melhores revistas disponíveis em solo virtual brasileiro. Sob a regência de Wanderley Guilherme dos Santos e com um conselho editorial e conselho consultivo digno de nota, a revista trimestral preza pela fina ironia, pelo projeto gráfico impecável, sempre acompanhada de verdadeiras obras de arte entre os textos, e por textos virtuosos. Talvez ela seja impressa para um público seleto, entretanto todas as edições estão disponíveis gratuitamente no site.
          Na edição número 47, que aliás ainda não li completamente, destacam-se os textos: "O retrato da amada através do tempo" de Luciana Villas Bôas que faz uma análise comparativa entre poesia de Pierre de Ronsard "Sonnets pour Hélène (1578) e W.B. Yeats "The Rose (1893), além de discorrer sobre a influência de Petrarca sobre o discurso amoroso; e o texto de Florência Costa que descreve o desenvolvimento do maoísmo na Índia, são os "naxalistas" com crescimento principalmente entre os "dalits" e mulheres vítimas da sociedade de castas.
        Divirtam-se....
        Beijos e abraços.
        Maurício.

Um comentário:

  1. Maurício, muito bom o seu comentário e a apresentação impecável dessa magnifica publicação.

    ResponderExcluir