31 janeiro, 2010

GESTO ADÂMICO

mARK hARRISON

As despedidas olharam para trás

Tempo de transição

Quereria identificar e alcançar

A fonte, quinze mil milhões de anos para trás

Pelo meio uma gramatologia fantástica

Futuros verbais inexistentes

Os optativos, restam poucos

Dilaceração interna contínua

O gesto adâmico

Onde vai deixa marcas

Na rapariga das tranças

Na lama

Está frio à minha porta, sabes?

Um tique taque vem da água e caminha

Nada detém os seus passos de chuva

O querer dizer

A impossibilidade do dizer.

Rosa breve sobre a a cama

Mão de areia procurando

Flor da alma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário