14 outubro, 2009

Um Churrasco por Semana

Não falta mais nada. Não bastassem todas as normas que temos de seguir e todos os pecados que não podemos cometer, a patrulha do bem vem nos dizer o que se pode comer. Não coma carne. Não é novidade? Well, há algum tempo esse discurso era baseado na saúde do indivíduo, a carne como fonte de colesterol ruim que entope artérias, provoca doenças cardíacas, obesidade e até câncer. Além da pena que alguns sentem pelos animais que morrem para satisfazer nossas necessidades alimentares, também ouvia, incrédula, um argumento evolucionista – o natural do ser humano seria comer frutas, verduras, castanhas e raízes. (E para que temos proteases?).
Há um par de anos surgiu essa história de que comer carne prejudica o meio ambiente, a saúde do planeta. Começaram falando do impacto da flatulência bovina no efeito estufa, depois da derrubada das florestas para a formação de pastagens. E eis que surge a campanha Meatless Monday (www.meatlessmonday.com). A ideia é salvar o planeta ao se deixar de comer carne uma vez por semana. Não sei o que mais me incomoda nesse discurso: pensar que a solução para os males do mundo se dá no plano individual ou desconsiderar, simplesmente, a possibilidade de se discutir uma mudança no modelo econômico hegemônico (ou será que recursos naturais não têm a ver com a economia?).
Além disso, quem circulou recentemente pelas coxilhas gaúchas pode testemunhar a extensão da monocultura de soja transgênica. Se todo mundo virar vegetariano, haja...
Considero a comida parte fundamental da nossa cultura. Comer é gosto, cheiro e prazer. Sentar em volta de um fogo e compartilhar um belo pedaço de carne, remete-nos aos costumes mais remotos da vida em sociedade. Churrasquear é mais que ingerir insípidas proteínas de origem animal, trata-se de convivência, de socialização, de troca de idéias e de amizade, além do sabor da carne, claro. Estou pensando numa campanha, Um Churrasco por Semana, não em prol da paz mundial, ou do planeta, mas a favor da alegria das pessoas.

2 comentários:

  1. Bacana Cláudia, gostei do post - divertido e reflexivo.
    Precisando de militantes para a campanha estamos aqui!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Adriane. Quanto à campanha: basta um grupo de bons amigos e os materiais para um churrasquinho... Militância fácil essa...

    ResponderExcluir