25 outubro, 2009

Perplexo

Perplexo

Onde, como não sei

não sei porque

será o que?

não há de que...

de certo talvez

Caminhava muito rápido

pausa!.... para as flores

que caminham mais lentamente

e exalam o perfume da alegria

risos no Teatro...

olhar atento para o que não tem explicação

meus olhos embargados agora

do que não rimos?.

com sua ausência me perco

fico para trás

meus pés não tem chão

sorria Juliana!... porque eu te amo

juntos a caminhar até nos desencontros.

Maurício Barbara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário