29 maio, 2009

Xanana em Angola

Enviado por AVeríssimo - Fábrica dos Blogs

Xanana em Angola - UM BREVE MOMENTO DE SATISFAÇÃO

Por ANA LORO METAN

Xanana Gusmão já está em Angola há uns dias e tem-se desdobrado em encontros e reuniões com os seus pares da CPLP na qualidade de primeiro-ministro e de todas as outras pastas de que é titular.

Com alguma propriedade será legítimo salientar que a sua presença tem sido bastante saudada e que tem suscitado o interesse da sociedade angolana, assim como a simpatia dos seus congéneres dos diferentes países da CPLP, apesar de existir a consciência do seu papel negativo no passado ano de 2006.

Nesse ano bastantes angolanos chegaram a profetizar que algo poderia vir a acontecer de semelhante a Angola, a divisão da sociedade e uma guerra civil fratricida. Felizmente não foi o que se mantivesse nos tempos, apesar de quase uma centena ter perecido para que ele conseguisse os seus objectivos.

Não se trata de agora entregar o ouro ao bandido e muito menos de enaltecê-lo pelas passadas e reprováveis atitudes, contudo não podemos ignorar o seu comportamento desde que pisou solo angolano. Até agora nem uma mácula de comportamentos ou declarações mesquinhas – nele habituais – saiu daquela boca relativamente ao papel dos que se lhe opõem, mais concretamente da Fretilin.

Verdade seja dita que ainda ninguém o confrontou com os vários casos de corrupção a ocorrer no país, em Timor, nem com o défice de democracia, mas isso entende-se perfeitamente que seja um tabu em que não interessa mexer num dos países mais corruptos do mundo e que tão tardiamente está a abrir-se para uma rara espécie de democracia, Angola. Nesse aspecto, raramente tocam os jornalistas angolanos ou fazem menção de o fazer a sério. Os que tocam nesse tema podem fazer as malas apressadamente e viajar para outro país, se entretanto não forem parar a uma cela mal cheirosa. Não seria o primeiro caso, nem será o último. É somente uma questão de insistir e de cair em desgraça.

Nesse aspecto, Xanana Gusmão, se quiser, pode levar daqui riquíssimas lições. Presumo que ele esteja interessado, apesar de o modelo ser repetidas vezes aplicado pelo mundo em países que até se dizem democráticos e nem estão assim tão mal classificados nos rankings mundiais das várias organizações internacionais que se dedicam a fazer umas listagens muitas vezes incoerentes e por isso repletas de descrédito.

Apesar de todos estes contras é certo que Xanana Gusmão tem mostrado capacidades que têm surpreendido os seus homólogos da CPLP pela positiva e tem feito perceber ser séria a sua vontade de abraçar com mais intensidade a lusofonia e as relações com os Palops, sobretudo com Angola. Essa postura sempre nos trás alguma satisfação, até que enfim.

Sendo assim, e tudo parece indicar que é, quererá o PM Xanana Gusmão mostrar aos anglófonos governantes e empresários do país vizinho, a Austrália, que a lusofonia tem pernas para andar em Timor-Leste e que não será por isso que o desenvolvimento de Timor não acontecerá? Há quem considere que sim.

Seja como for, creio que poderemos regozijarmo-nos pelo comportamento do PM de Timor nesta sua primeiríssima visita a Angola na qualidade de titular de três ministérios. Experimentemos esta satisfação, tão rara nestes últimos tempos relativamente ao personagem que antes era adulado pelas multidões. Mas isso foram tempos que já lá vão e o que agora importa é satisfazermo-nos com o pouco que nos é dado a presenciar uma vez por outra. Quase que me apetece agradecer mas como sei que esta decência seria a que Gusmão deveria exibir e ter normalmente não o faço.

É bom, este breve momento de satisfação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário