19 março, 2009

Enquanto isso no Rio... Choque de ordem saindo na pressão!

,Na última terça-feira, dia 17 de março, eu passava no cruzamento da Av. Rio Branco com a Rua da Carioca quando avistei a confusão: pessoas revoltadas em volta de um ônibus da Guarda Municipal protestavam contra a prisão de um rapaz. Segundo informações que consegui obter no momento, os guardas municipais agrediram um ambulante com necessidades especiais ao apreenderem suas mercadorias. O rapaz foi preso por tentar evitar a agressão; por se posicionar contra o ato absurdo dessa nova modalidade de feitores.
A população presente chamou a polícia militar para resolver a questão, visto que a guarda municipal não teria poder de polícia e, portanto, não poderia dar voz de prisão. O rapaz foi solto e levado à delegacia junto a testemunhas para registrar o ocorrido.
Estamos presenciando no Rio de Janeiro a execução de uma administração pautada na repressão aos mais pobres e seus meios de sobrevivência. A "ordem" à qual o Sr. Eduardo Paes se refere é a mesma e velha ordem que as camadas populares estão cansadas de conhecer e vivenciar: a ordem da elite que quer esconder o que incomoda. Colocar a sujeira embaixo do tapete, tapar o sol com a peneira... Ações do tipo já foram realizadas no Rio, com a remoção de cortiços e a conseqüente formação das favelas, assim como diversas outras que tinham como objetivo "limpar a cidade", "ordenar", ou seja: fingir que somos uma "cidade maravilhosa".
A nós resta pensar quais conseqüências teremos a partir das arbitrariedades deste novo governo municipal. E não há aqui uma tentativa de se defender a informalidade ou a ilegalidade. Há sim, a necessidade de refletir sobre qual a ordem que precisamos e queremos no Rio de Janeiro. A ordem pautada na repressão já faz a cidade respirar com ares de panela de pressão - que sem a prevenção e o cuidado com seus efeitos, explodirá.
Era público, visível e notório o ódio dos cidadãos ali presentes às arbitrariedades cometidas pela Guarda Municipal. Estávamos ante uma cena que facilmente poderia evoluir para um confronto.
O Sr. Eduardo Paes deveria tomar mais cuidado com a ordem que está tentando estabelecer. Tendo vencido as eleições municipais por uma margem tão pequena de diferença, talvez seja de maior bom-senso abrir uma escuta à população que ele representa.
Não desejamos esconder nossos problemas, Sr. Choque de Ordem. Queremos sim, encontrar alternativas que se apresentem como ações estruturantes para as questões dessa cidade e que objetivem oferecer a todos a dignidade que nos é de direito.
Por enquanto, mais uma vez, vamos assistindo ao espetáculo onde aos pobres, a ordem. À elite, o progresso.

Um comentário:

  1. as vezes so sinto é vergonha dessas coisas.

    ResponderExcluir