17 novembro, 2008

Dicionário Digital da Língua Brasileira de Sinais

          Gostaria de incentivar uma importante iniciativa, trata-se do Dicionário Digital Bilíngue, no texto abaixo há o histórico desta iniciativa, conclamo a todos a reivindicar a adoção desta iniciativa mediante difusão e postagem nos blogs e sites que porventura venham acessar. Verás, por exemplo, que o termo "safado" não é o mesmo que o ato de fazer a barba.

http://www.acessobrasil.org.br/libras/

Histórico


Por Guilherme de Azambuja. Lira e Tanya Amara Felipe

A concepção do projeto do Dicionário Digital da Língua Brasileira de Sinais iniciou em agosto de 1997, na observação da utilização da internet pelos alunos surdos do INES (projeto - "O Surdo e o Mundo"). Esses alunos utilizavam três salas virtuais de conversação (CHATS), segmentadas por faixa etária, disponibilizadas na rede interna do instituto.

A gravação das conversas realizadas, entre os alunos nesses CHATS internos, nos possibilitou tiramos as seguintes conclusões (Santos S. B. F. ; Lira G. A): a primeira, foi em relação a facilidade e aderência desses alunos às novas tecnologias de comunicação e informação e a segunda, em relação a grande defasagem na aquisição da língua portuguesa pelos alunos surdos. Essa defasagem lingüística limitava em muito o acesso desses alunos a interatividade permeabilizada pela internet, principalmente na troca de informações. O fato é, que no outro lado da rede o internauta anônimo se deparava com uma barreira lingüística impenetrável, visto a dificuldade de comunicação por/com os usuários surdos, inviabilizando e desestimulando seu fluxo. O motivo principal era o desconhecimento das duas línguas, pelos ouvintes e pelos surdos.

Com vocabulário restrito a conversa não se desenvolvia. A despeito dos cursos de LIBRAS, faltava instrumental adequado, faltava mostrar o movimento do sinal em LIBRAS e o seu significado na língua portuguesa (A LIBRAS é uma língua gestual).

Durante os dois anos de desenvolvimento do projeto Centro de Referência Virtual para o INES (1998/1999), a idéia de desenvolver um vocabulário português x LIBRAS acessível via internet (a idéia inicial era utilizar desenhos) se tornou realidade quando observamos que no Canadá, no SITE http://www.deafworldweb.org (hoje http://www.handspeak.com), estavam iniciando uma experiência em disponibilizar os sinais, da ASL – Língua Americana de Sinais correspondentes a palavras, através de GIFS animados (fotos animadas). Tendo como base essa experiência, desenvolvemos com os recursos do projeto Centro de Referência (parte II), um sistema integrado com a internet que disponibilizava sinais filmados, utilizando uma tecnologia mais avançada (tecnologia AVI com recursos de compressão digital), permitindo que o sinal pudesse ser visto em sua totalidade. Essa experiência pioneira no Brasil, foi chamada de Vocabulário Digital de LIBRAS (1999).

Esse vocabulário piloto, acessível através do SITE do Instituto, http://www.ines.org.br foi composto por um conjunto de sinais (LIBRAS), com cerca de 1000 sinais, em forma de vídeos digitais, correspondendo palavras em português, cadastrados em banco de dados integrado com a internet.

Nos três primeiros meses de sua publicação na internet o vocabulário teve cerca de 20.000 acessos (se consideramos que cada pessoa só consultou uma só palavra x sinal), provocando uma enorme expectativa por parte dos alunos, pais e professores e da comunidade surda para a sua ampliação, isto é, para inclusão de novos sinais, representando outras palavras, sinônimos regionais, verbos, pronomes etc.

Essa demanda reprimida gerou a necessidade de não só de ampliar o vocabulário, mas de estruturá-lo em forma de um dicionário Português x LIBRAS, organizado metodologicamente por especialistas surdos, filólogos e lingüistas, entre outros, para servir como uma nova fonte de consulta mais rica para o surdo, alunos surdos, pais e professores de surdos, especialistas e para a comunidade em geral, tendo como base a experiência acumulada no desenvolvimento do vocabulário digital e apoiado na estrutura montada pelo Centro de Referência do Instituto Nacional de Educação de Surdos – INES.

Em maio de 2000, enviamos ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE – MEC), com o apoio e interesse especial da SEESP - Secretaria de Educação Especial do MEC, o projeto para o desenvolvimento do Dicionário Digital de Língua Brasileira de Sinais.

A primeira versão do Dicionário Digital Bilíngüe da Libras foi concluída em março de 2001.

Nenhum comentário:

Postar um comentário