23 outubro, 2008

Carta de um Guerreiro Afro Nipo Brasileiro

Enviado por Luís Kinugawa

Carta de um Guerreiro Afro Nipo Brasileiro. 

Prezados Amigos,

Sou Brasileiro, meu coração é africano, minha alma é de um SOFÁ (Guerreiro Malinkê) e 
meu corpo é resultado da mistura entre Europeus, Índios e Japoneses. Meu nome é de Samurai e minha espada é o Djembê (Tambor em forma de cálice do Oeste Africano). Minha esposa é uma Diva Africana que me enche o coração e os olhos de alegria cada vez que a vejo cantar e dançar. Meu irmão é um Mestre Africano, que me emociona cada vez que toca seu tambor. 
 
De racismo eu entendo, pois ele sempre veio multicolorido na minha direção. Racismo é acentuado no Brasil em relação aos negros, mas ele também ataca japoneses, libaneses, judeus, koreanos, índios, afinal qual é o parâmetro para se medir racismo? Racismo é doença de ignorante, ponto. 
 
O Brasil é o laboratório de Deus para uma humanidade que VAI se Respeitar , se Reconhecer e Evoluir na diversidade, mas o trabalho maior é do povo que é mais trabalhador... o povo negro.

Esta população, que desde os áureos tempos dos grandes Impérios (Gana, Mali, Songhai), em seu saber cósmico pesquisou, arquitetou, construiu ferramentas e métodos para o bem viver e desenvolveu uma relação íntima e verdadeira com a Criação, tem hoje, seus grandes trunfos divinos, a alegria e o respeito, como paradoxos dessa Nova Era.  Definitivamente, a alegria nasceu na África e o respeito se estabeleceu como baliza social, mas o destino do planeta quis testar a sobrevivência dessas qualidades Africanas no Novo Mundo e tudo que aconteceu de triste e desrespeitoso nos últimos 500 e tantos anos, é para nos fazer esse teste.  
 
Para passar no teste? Informação, paciência, cultura, perdão, sabedoria, amor,  muito mais do que "apenas" se equiparar ao que é tido como modelo de vida sofisticada moderna e, cá entre nós, humanamente decadente. É a África que está dizendo ao mundo que precisamos cuidar da humanidade, e é a África que apresenta o caminho para que o ser humano volte a habitar o seu corpo e alimentar a terra. O Brasil? Enquanto filho prodígio , deve honrar pai e mãe, trabalhando para alegrar e dar melhores condições de vida à Mamãe África, porque comida e tecnologia, aqui não faltam.

Gostaria de dizer à Fanta , minha esposa, que o Brasil a acolheu muito bem (com alegria e respeito) e ela prosperou aqui, pois este é um país que reconhece o que os africanos fizeram por nós, Brasileiros.  
Desejo ao povo que é mais trabalhador, mais bonito e mais forte, as bençãos da vida com mais informação, mais paciência, mais cultura, mais perdão, mais sabedoria, mais amor para ser reconhecido com mais alegria e mais respeito por todos os povos do mundo. Deixemos de ser órfãos quilombolas para sermos filhos legítmos da África, com muita lucidez e sem ilusão na identidade, recuperando o que tinha de melhor e perdoando os erros de nossas gerações "Xaxadas". Quem é 100% Negro? Eu não vou fingir que eu sou africano; EU SOU africano também e vou recuperar o que meus ancestrais me deixaram de mais sublime de herança, sem esquecer de agradecê-los todo dia ! 
 
Viva o Mestre Irineu ! Viva Mandela ! 
 
 
Luis Kinugawa 
 
 
Ouvir faixas do CD: www.myspace.com/fantakonate 
Telefone: 11 3368-6049 
Skype : djembedon1 

Um comentário: